3.28.2007

O meu Saxo

Estou prestes a vender o meu Citröen Saxo e não me sinto nada feliz. Acreditem... não devo ser a única a humanizar um objecto de quatro rodas.

Foi o primeiro carro, c'um raio. Não se acaba uma relação motora de sete anos assim sem mais, nem menos.

Ontem apresentei-o à futura dona e senti-me uma 'vendida'. Depois da reunião e do negócio apalavrado, dei por mim a conduzir o carro para casa e a acariciar o volante, como se o estivesse a consolar. «Pronto deixa lá, ela até parece ser uma moça porreira, é gira, reparaste? Ok disse que só precisava de ti para dar umas voltas à noite com os amigos. Mas tens de ver a miúda é novita ...
Sim, eu ouvi. Também tirou a carta há mais de um ano e não é muito dada à condução. Mas quem vê cara, não vê conduções, pá!»

Estacionei o Saxo. Parece que o estava a ouvir - «com que então vais vender-me a uma desmazelada, hum? Tarda nada vou para a sucata. Sua ingrata».

1 Comments:

Blogger GatoZarolho said...

Como eu te compreendo, quando deixei o meu Peugeot (tinha estado juntos mais de 10 anos) para o abaterem acredita que até me apeteceu chorar...Tinhamos passado por muito juntos ;)

5:41 PM  

Post a Comment

<< Home